sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Mar de Rosas


Sim, eu ainda tenho muito para viver. Mas isso não apaga o que já vivi. E foi com o que já vivi que me tornei no que sou hoje. O que não nos mata, fortalece-nos. Foram as mágoas, desilusões mas também os bons momentos que passei por ti que me fizeram crescer e ver que o mundo não é de maneira alguma o mar de rosas que eu pensava ser. O mundo é muito mais que um mar de rosas. Arrisco-me a dizer que num inteiro mundo de egoísmo e materialismo, o único mar de rosas que conheci foste tu. E o mais irónico, é que até no mar de rosas encontrei espinhos. Até as rosas têm espinhos, e eu apenas via as pétalas. 


O importante é que neste momento criei a noção real dos espinhos, embora nem eles sejam suficientemente fortes para me fazer esquecer das tuas pétalas. Os espinhos que me pregaste continuam em mim numa cicatriz profunda mas posso suportá-los, eles fizeram-me crescer, nem os espinhos em mim cravados são capazes de apagar da minha memória as tuas enormes e lindas pétalas. És a mais bela flor da minha vida, quer tenhas ou não espinhos.

O facto de teres escolhido um caminho diferente do meu mostrou-me com clareza que a derradeira prova de amor está em saber libertar aqueles de quem gostamos e não prendê-los a nós contra a sua vontade. E então aqui estou eu a dar-ta. Quero que saibas que continuas a ser a minha flor preferida, independentemente dos diferentes caminhos que sigamos.
Portanto, espero que te sintas livre de ser feliz sem te condicionares pelos meus sentimentos. Sim, porque esses são mais do que simplesmente puros ou verdadeiros. Não há palavras no dicionário capazes de descrever o quanto eu gosto de ti, te adoro, o quanto eu te amo. Mas tu já não sentes o mesmo, e eu não posso mudar a tua vontade. Contudo, quero que saibas ainda que continuarei de braços abertos para ti enquanto este amor durar.
Apesar dos espinhos, eu seguro a tua flor. Ela faz sangue nos meus dedos que ignoram a dor provocada, porque as tuas pétalas são demasiado preciosas para largar.

Eu seguro-te, e eu amo-te. 


(Este texto foi inspirado num sentimento real.)


4 comentários:

É necessário dizer que quero muito que comentes? Ok, eu quero muito que comentes os meus textos :D.
Obrigado pelo teu comentário.