sábado, 21 de agosto de 2010

A Imortalidade do Amor


(Este texto é um texto criado por mim e já conhecido por alguns. Apliquei ligeiras alterações ao texto, pelo que decidi colocá-lo aqui para que todos pudessem lê-lo, avaliar e quem sabe, comentar. Espero que gostem.)

Sabem aqueles momentos em que nos sentimos (se é que sentimos), apáticos? Sem saber o que sentir, fazer ou dizer. Eu sinto-me quase assim neste momento. A dor pode nem sempre ser a maior ou a mais dolorosa, mas até a mais pequena dor na verdade, dói.
Nunca pensei obviamente que fosse ser um mar de rosas, nem eu o queria. Todas as histórias têm uma parte de sofrimento ou de maldade. Já viram finais felizes fazerem história? O final feliz é o fim, que chega apenas quando a dor, o sofrimento, os obstáculos e a maldade chegam ao fim. Acabando tudo bem, de uma forma ou de outra. Mas não posso negar que me sinto apático. Sem ter grande reacção, sem saber o que dizer a não ser "Amo-te", sem saber o que sentir a não ser Amor, sem saber o que fazer a não ser Amar-te a ti, e só a ti. 

O que é o Amor? É o que sinto, sem mais nem menos. Mas, o final feliz não implica apenas o sentimento de um dos lados, implica dos dois lados. E não te esqueças que basta um "Amo-te" para que eu te perdoe de qualquer coisa, seja o que for. Resta-me não baixar os braços e continuar como até aqui, a fazer tudo o que me é possível para ultrapassar os obstáculos entre nós. E implorando por amor. 
Será possível que tudo se vá? Perguntas tu no teu interior. E eu conhecendo-te como conheço, digo que "Não", sem precisar que te expresses por palavras. Eu não menti quando disse que te irei amar eternamente. A ciência diz que uma espécie de medusa do mar é o único imortal no nosso planeta. Mas a ciência não exprime, e não estuda o que sinto por ti. Se o fizesse, descobriria a verdadeira imortalidade. Há quem busque toda a vida pela imortalidade sem a encontrar, e assim a imortalidade leva consigo a mortalidade dos homens. Eu não peço a imortalidade, eu peço que me deixem viver a minha mortalidade e dedicá-la a ti, de corpo e alma. Se morrer, morro por ti. Pois não vou nunca permitir sequer que a imortalidade leve o que sinto por ti.
O que sinto por ti, só a nós diz respeito, e só a nós pertence.
É assim que o que sinto por ti me liberta do estado de apatia, lembrando-me do que é sentir o coração a bater, o sangue a pulsar nas veias, e tu, sempre no pensamento. 

Amo-te, porque sou mortal, mas este sentimento é sem dúvida, Imortal.




15 comentários:

  1. Ta´muito bom e lindo, mas como já te disse , tu entregas - te mais que ela

    ResponderEliminar
  2. Só tenho uma palavra "UAU"!
    Amei o texto :P
    bjinho

    ResponderEliminar
  3. Mas como assim ?
    Que estás a dizer ? Se quiseres dizer claro

    ResponderEliminar
  4. O texto está lindo *.*
    quanto ao teu comentário , Obrigada (':
    Há sempre várias maneiras de ver as coisas. 2 há sempre . O lado positivo e o lado negativo. O fim é o mau . Mas O fim é tambem o inicio de uma nova etapa. Se a história acabou , foi porque foi melhor assim. Tenho a certeza que no futuro , será melhor ! *.*
    Obrigada por aquilo dos dentes (':

    Beijinhos *
    'Carpe diem'

    ResponderEliminar
  5. Adorei o texto, a maneira como te exprimes. É verdade que uma história de amor não é sempre feita de momentos bons, os menos bons também têm de existir e sabes para quê? Para que a relação se torne mais forte, para que o amor se torne inquebrável. Claro que o amor tem de ser algo dado por duas pessoas, não pode ser só uma a amar e ser amado, é preciso dois protagonistas não um. Não faz contra ti próprio, não fujas de quem és e principalmente luta pela tua felicidade, porque isso ninguém te vai dar de mão beijada.
    Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  6. Muito Bom! Adoro os textos!
    Abraço!

    ResponderEliminar
  7. Olá Diogo!
    Adorei seu blog, textos expetaculares.
    Tbm tô te seguindo
    Abraços!
    (ah livro preferido tbm é Amanhecer ;)

    ResponderEliminar
  8. É preciso dizer alguma coisa?
    Adoro os teus textos rapaz! :D
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. adorei o texto :)

    mesmo, nao estou a dizer por dizer, porque nao precisava disso :P

    adorei e pronto, escreves muito bem
    e vou seguir.te :)

    bjnhos

    ResponderEliminar
  10. Obrigada por seguires :D
    nao sabes o quanto fico feliz ;)
    o comentario foi fofo? oh diria verdadeiro xD
    bjnhos

    ResponderEliminar
  11. ahh :p é verdade sim *.*

    Obrigada. :$

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  12. Quando leio estas coisas dúvido sempre se uma pessoas assim existe na realidade. =) Se a resposta é sim, parabéns, porque é absolutamente deslumbrante.

    Tudo de bom! =)

    ResponderEliminar
  13. Queria dizer que aquele tipo de paixão parece que só existe nos livros de romance. Que acho sempre que não existe, que é ficção. =) Não estou a duvidar que sintas as coisas daquela maneira, mas acho que poucas pessoas são assim.

    ;)

    ResponderEliminar
  14. O amor para ser completamente feliz tem que ser partilhado com a mesma intensidade pelas duas pessoas; se há desequilíbrios, por vezes as coisas acabam por não correr bem.

    ResponderEliminar

É necessário dizer que quero muito que comentes? Ok, eu quero muito que comentes os meus textos :D.
Obrigado pelo teu comentário.